Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

Desapego e Sexo anal

Hoje eu não estou muito inspirada para começar um texto, então vou só jogar as informações que me veem à cabeça.
Fui casada por um tempo, quase por uma década, e posso afirmar que durante esse período tivemos altos e baixos sexuais, como em qualquer relacionamento, acredito eu. Descobri outros prazeres enquanto tocávamos a vida matrimonial, transas em locais abertos, em escadas de prédio, em capô de carros... foram diversas aventuras. No entanto, meu melhor avanço quando se fala de sexo foi abrir a mente para me relacionar com o sexo feminino. E foi meu ex-parceiro que plantou sementinhas que ao longo do tempo foram crescendo e quando percebi, já estava me tocando imaginando outra garota me chupando. Até que em algum momento aconteceu e foi melhor do que minha imaginação fértil criava.
Por outro lado, houve bloqueio de outras atividades sexuais, como por exemplo o sexo anal e o gozo na boca. Raramente aconteceu essa última, e o anal, só tentamos poucas vezes e nunca tivemos sucesso.

Noite fria, vinho e sexo, muito sexo!

Suíte egípicia

Numa quinta-feira um sujeito fez contato comigo no início da tarde. Acho que não comentei ainda aqui no blog, mas eu não trabalho só como acompanhante, eu sou mãe de filha única, sou uma pequena empreendedora e também acadêmica (como já tinha dito). A acompanhante entra no modo operante a partir das 13:30  da tarde, com algumas exceções. Então quando vi uma ligação no número de acompanhante me irritei um pouco, na verdade, pensando bem agora, eu já estava irritada com alguns inconvenientes relacionado ao meu ex-marido. Atendi, e do outro lado uma voz mansa perguntou sobre valores e disponibilidade (detesto que me perguntem valores nas ligações e por whats, afinal, a informação já está no site para isso). Respirei fundo e respondi tudo calmamente. Tendo na cabeça que meu problema não era a ligação, mas o passado que não cansa em me chatear no presente.
Enquanto dirigia para a escola da minha filha, o sujeito fez contato novamente querendo me encontrar. Nesse mesmo tempo, uma cliente d…

Prazer, sou seu...(?)

Um dia desses cheguei em casa em torno de umas 21 horas. Abri o whats e vi uma mensagem de um rapaz muito bonito, e embora fosse tentador, naquela noite eu já estava cansada e muito preocupada com provas logo pela manhã no dia seguinte. Então, com muita dificuldade tive que recusar e tentar agendar para outro dia. Meu receio era que ele fosse de outra cidade e não pudéssemos nos encontrar no dia seguinte, mas acabei conseguindo agendar. Combinamos num estacionamento público, deixaria meu carro ali e iríamos no dele para o motel.
No dia seguinte, lá estava eu me dirigindo para o local combinado. Estacionei e já avistei seu carro parado. Entrei, o cumprimentei com um beijo no rosto, a meia luz do estacionamento não me permitia ver nitidamente seu rosto, mas eis que eu ouvi: "Está me reconhecendo?". Nessa hora, consigo lembrar como se fosse em câmera lenta, eu estava com o meu rosto virado para a porta procurando o cinto de segurança, mas virar o rosto e olhar pra ele novament…

A carona - Conto Erótico

Imagem
Sou acadêmica de Direito, já contei, né? Me sinto muito satisfeita em fazer esse curso, por isso sempre estou me gabando, rsrs. Meu ex, dizia que conhecimento é poder, e eu tenho que concordar. Gosto muito, aliás, posso afirmar que é uma das coisas que me excita! 
Um dias desses estava saindo na faculdade num dia atípico para mim, pois normalmente eu não vou à faculdade no período noturno, mas tive que ir fazer uma prova de segunda chamada e foi justamente num péssimo dia para isso, pois tinha deixado o carro na revisão e fui de táxi, mas na volta, eu precisava de carona, e não me atentei ao fato, esquecendo que não tinha ido de carro, precisava novamente do táxi.
Estava parada em pé em frente o estacionamento tentando chamar um por telefone, e um temporal ameaça cair, eu já estava ficando desesperada quando um carro parou ao meu lado e ouvi uma voz firme e familiar me dizer: "precisa de carona, senhorita?'. Olhei para o lado, e lá estava o meu professor, de Direito Econômic…